sábado, 22 de fevereiro de 2014

Consciência Socioambiental


       Na introdução da aula 01, Tópicos Emergenciais em Cadeias de Suprimentos, conteúdo online, da faculdade Estácio de Sá, lemos o seguinte: “antes de pensarmos em sustentabilidade, é preciso formar uma consciência socioambiental, e essa consciência virá com educação e cultura.”
     Cabal essa afirmação. Pois uma consciência socioambiental só terá relevante evolução com educação e cultura. E como sabido, essa cultura começa no recinto doméstico, apoiado por campanhas governamentais e a mídia em geral, continuado e desenvolvido em escolas, universidades, centro de pesquisas e desenvolvimentos, enfim, é uma consciência de responsabilidade coletiva; de toda nossa organização.   
     Mas o que temos visto ainda está engatinhando; muito tímida as ações no contexto geral. Diante de tantas informações sobre problemas de agressão ambiental, as organizações, como um todo, já deveriam estar mais atuante nesse aspecto. Visto que a prevenção está no manual de todo planejamento. No entanto, a prevenção, ainda está mais voltada para planejamentos de diminuir custos com resultados de lucros imediatos, não questionando muito os impactos que possam causar. Logo, não é vislumbrado um resultado, para todo cidadão, com benefícios a longo prazo.
     Em suma, o caminho da conscientização é longo. Mas precisamos compensar o tempo perdido; buscar constantemente uma educação mais atuante.  Através de informações que já temos sobre os recursos que estão cada vez mais escassos ou esgotados, o impacto das poluições no meio ambiente, a consciência de utilizar os recursos naturais com moderação, entre outras coisas, precisamos reciclar e nos reciclar conscientemente. Enfim, todo indivíduo tem a responsabilidade de contribuir com uma campanha global que diminua progressivamente esses impactos adversos para que, ao menos, nesse tipo de ação sustentável, possamos ter um princípio universal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário